// Notícias

-

Hipertensão Arterial

Autor: Connect Funcional, postado às 20:41, em

HIPERTENSÃO

O coração bate uma média de 60 a 80 vezes por minuto (indivíduo em repouso) durante toda a nossa vida e impulsiona de 5 a 6 litros de sangue por minuto para todo o corpo.

Pressão Arterial é a força com a qual o coração bombeia o sangue através dos vasos sanguíneos. É determinada pelo volume de sangue que sai do coração e a resistência que ele encontra para circular por todo o corpo.

Ela pode ser modificada pela variação do volume de sangue ou viscosidade do sangue, da freqüência cardíaca (bpm) e da elasticidade dos vasos. Os estímulos hormonais e nervosos que regulam a resistência sanguínea sofrem a influência pessoal e ambiental.

Hipertensão, também conhecida como pressão alta, é uma doença muito comum que acomete cerca de 23% da população adulta Brasileira. Essa doença pode ser encarada como um fator de risco para o desenvolvimento de doenças do coração, pois, na grande maioria, não provoca sintomas ou os sintomas são gerais (podem ocorrer como em muitas doenças), como dores de cabeça, tonturas, mal estar. A Hipertensão é estabelecida pelo encontro de níveis tensionais acima dos limites superiores da normalidade quando a pressão arterial é determinada através de metodologia adequada e em condições apropriadas.

Uma pressão arterial abaixo de 120/80 é considerada normal. Em geral, quando mais baixo melhor. Porém, pressão arterial muito baixa pode algumas vezes causar inquietações e deve ser checada por um médico. Hipertensão é aquela de 140/90 mmHg ou superior. Ambos os números são importantes. Se um ou ambos os números são consistentemente altos, é diagnosticada a Hipertensão.

Categorias para níveis de pressão arterial em adultos* (em mmHg, milímetros de mercúrio):

Categoria Sistólica
(número maior)
Diastólica
(número menor)
Normal menos de 120 menos de 80
Pré-hipertensão 120-139 80-89
     
Pressão alta    
Estágio 1 140-159 90-99
Estágio 2 160 ou maior 100 ou maior

O tratamento sem medicamentos tem como objetivo auxiliar na diminuição da pressão, e se possível evitar as complicações e os riscos da doença. Alguns deles são:
Exercitar-se regularmente (orientado por um Profissional de Educação Física habilitado);

  • Reduzir o peso corporal através de dieta calórica controlada: substituir as gorduras animais por óleos vegetais, diminuir os açúcares e aumentar a ingestão de fibras;
  • Reduzir o sal de cozinha, embutidos, enlatados, conservas, bacalhau, charque e queijos salgados;
  • Reduzir o consumo de álcool;
  • Abandonar o tabagismo;
  • Controlar as alterações das gorduras sangüíneas (dislipemias), evitando os alimentos que aumentam os triglicerídeos como os açúcares, mel, melado, rapadura, álcool e os ricos em colesterol ou gorduras saturadas: banha, torresmo, leite integral, manteiga, creme de leite, lingüiça, salame, presunto, frituras, frutos do mar, miúdos, pele de frango, dobradinha, mocotó, gema de ovo, carne gorda, azeite de dendê, castanha, amendoins, chocolate e sorvetes;
  • Controlar o estresse;
  • Evitar drogas que elevam a pressão arterial.

O Exercício Físico no hipertenso é recomendado, quando a hipertensão é controlada e quando não existem sinais de lesões em órgãos vitais, como o coração, o cérebro e os rins.

Os benefícios que os hipertensos encontram com a prática de exercícios regulares são inúmeros, como por exemplo:

  • Reduz a tensão arterial em repouso
  • Reduz a tensão arterial durante o exercício
  • Emagrecimento
  • Elevação do HDL (bom colesterol)
  • Diminuição do LDL (mau colesterol)
  • Perda de sal e água através da sudorese
  • Diminuição da viscosidade do sangue
  • Redução do tônus simpático, com a redução da concentração de adrenalina no sangue e melhora na freqüência cardíaca
  • Efeito psicológico favorável de “bem estar”
  • Redução da insulina que, por sua vez, reduz a absorção de sal no organismo, diminuindo, tanto o peso, como a hipertensão arterial.

O exercício aeróbico dinâmico, como a natação e a corrida, não acarretam aumento na espessura muscular do coração, enquanto o exercício isométrico, como luta corporal são prejudiciais à musculatura do coração hipertenso.

Antes de iniciar quaisquer práticas de exercícios, é óbvio, todos devem submeter-se a exames físicos e laboratoriais e também a testes ergométricos, para avaliação do estado funcional do coração e da pressão arterial.

COMENTÁRIOS