// Notícias

-

O Profissional de Educação Física Moderno e suas características

Autor: Connect Funcional, postado às 18:34, em

Vivemos em um meio de constante mudança, muitos aparatos tecnológicos sendo introduzidos no nosso dia a dia, muitas mudanças de hábitos observadas muito rapidamente; influência direta do pouco tempo que temos para nos alimentar, locomover, produzir profissionalmente e praticar atividade física, além disso precisamos destinar tempo para nosso lazer e família.

Nos últimos anos percebemos inovações na área de tecnologia que transformaram nossas vidas para melhor. Tais inovações se tornaram essenciais para nós, porém a poucas gerações passadas elas nem sequer existiam, como por exemplo os smartfones, computadores portáteis, tablets, etc. Entretanto estes avanços também trouxeram muitos prejuízos no que diz respeito à postura e à rotina diária, principalmente para as novas gerações.

Pense se a 30 anos atrás esta cena era realidade: uma pessoa sentada em um Café, comendo o seu lanche que demorou míseros 5 minutos para chegar (se passar disso nos enfurecemos), mais uns 10 minutos para ser devorado, e enquanto isso essa pessoa checa seus e-mails, atualiza seu status no Facebook, conversa com um fornecedor do trabalho no WhatsApp… tudo isso ao mesmo tempo! E nesse meio tempo estamos sim com os nossos cérebros ativados, porém a nossa postura na maior parte das vezes comprometida.

A incidência de lesões articulares, musculares e até ósseas são comuns hoje em dia e cada vez mais observadas em pessoas mais jovens devido ao mal-uso das cadeiras na longa jornada de trabalho, ou pelo treino que fortalece partes específicas do corpo e não privilegia áreas de vital importância para manutenção de mobilidade, estabilidade e ativação rápida ou pela simples combinação destes dois fatores apresentados acima.

Por isso o contexto do profissional de Educação Física mudou muito nos últimos anos e o mais importante é entender que nosso profissional de educação física atual precisa saber lidar com várias situações novas, entre elas o desconforto postural, a falta de motivação para o treino e as dores. Lidamos constantemente nas nossas sessões de treino com a dor ou o desconforto postural… Quem durante uma atividade física nunca reclamou que a coluna estava doendo, ou que o joelho estava latejando, ou que o braço tinha uma dor que não sabia onde começava ou onde acabava? Tudo isso com certeza tem relação com a postura no trabalho, com a forma de sentar, dormir ou a relação de treinamentos físicos que priorizam situações secundárias antes das primordiais. Por isso precisamos de profissionais que entendam não só da prescrição do exercício, mas também entendam a rotina dos seus alunos e das possíveis manifestações de movimento precários, assimetrias e compensações musculares ou articulares que geramos o tempo todo.

Integrar ferramentas é juntar estratégias combinadas com movimentos com os quais os nossos alunos se relacionam todos os dias, por exemplo: sentar, levantar da cama ou da cadeira, caminhar e empurrar ou puxar uma caixa. É essa integração de situações que podem ajudar nossos alunos, e devem estar presentes nos treinos para melhorar a funcionalidade dos movimentos utilizados diariamente. Será que hoje temos este profissional moderno e contextualizado presente nas nossas academias?

 

Autoria: Prof Esp Alexandre Argôlo – Responsável Técnico da Connect Funcional

COMENTÁRIOS